Carrancas do São Francisco


As famosas carrancas do rio São Francisco são as cabeças grotescas, geralmente feitas de madeira e por artistas anônimos, que os barqueiros do rio colocam na proa de suas embarcações. São figuras que representam cabeças de animais com cara de gente e vice-versa.

São feitas, dizem as lendas, para afastar os monstros do rio, permitindo aos barqueiros viagens seguras e felizes.

Uma dessas lendas diz, por exemplo, que a figura dá três gemidos quando está em perigo de naufrágio.

As carrancas protegiam os barqueiros contra os animais do rio, como o jacaré e o surubim, peixe que chega a atingir 180 cm de comprimento e 70 kg de peso.

Além disso, acredita-se que também eram usadas para atrair a curiosidade da gente das fazendas sobre as embarcações e facilitar o comércio.

Quase todas elas apresentam elementos característicos: olhos ressaltados, fortes sobrancelhas arqueadas e longa cabeleira. A cabeça e pescoço são grandes para aproveitar ao máximo o tronco da árvore (geralmente cedro). São pintadas de branco, exceto os cabelos, que são sempre pretos. A boca, olhos, narinas e orelhas apresentam toques vermelhos para realçá-las.

Quando as barcas, movidas a varas e remos, foram abandonadas ou remodeladas para instalação de motores à explosão, as carrancas foram retiradas e jogadas às margens do rio ou procuradas pelos colecionadores. As carrancas eram indispensáveis nas barcas do São Francisco. Hoje, ao longo do rio, podem ser vistas uma ou outra embarcação popular com carranca à proa .

Texto adaptado de Carrancas do São Francisco, de Paulo Pardal


 Texto enviado pela professora Regina Jorge

© 1999-2019 - Pequeno Artista