Henrique Pistilli - A emoção de ser um Homem Peixe.


​​​Se você mora perto do mar com certeza já tomou coragem e desceu uma onda. Ninguém resiste! Eu e o Zé achamos emocionante despencar no meio da espuma sentindo a pressão das ondas do mar. Você precisa experimentar isso! É muito irado!

Foto arquivo vwww.homempeixe.com.br

Você sabia amigo que o surfe de peito é considerado a base dos esportes que são praticados nas ondas do mar? O atleta usa apenas o próprio corpo, um par de nadadeiras e, algumas vezes, uma pranchinha pequena para deslizar nas ondas. Diferente do que algumas pessoas podem pensar, para descer uma onda aproveitando toda a emoção não basta apenas pegar um jacaré, mas é preciso técnica, disposição, fôlego e conhecimento sobre exercícios de aquacidade.

Se você não sabe o que é isso, preste atenção pois estamos aqui entrevistando uma das maiores autoridades sobre esse assunto: Henrique Pistilli, o famoso Homem Peixe.


Referência internacional em bodysurf, Henrique começou a nadar com apenas dois anos de idade, mas a sua paixão pelo mar veio desde quando estava na barriga de sua mãe. Seus pais o levavam para passeios de barco todas as semanas e, lá de dentro, ele já ía sentindo a maresia. Quando fez doze anos começou o polo aquático com o técnico Hélio Fernandes. Henrique contou pra gente que o técnico o levava todos os sábados de manhã para fazer um treino de waterpolo na praia e surfava sem prancha. Foi aí que tudo começou ... Zé - Henrique, as técnicas utilizadas no polo aquático lhe ajudaram num melhor desempenho do surfe de peito? Henrique - Bem, se você quer aprender aquacidade, que é se mover com alto desempenho e pouco esforço, com muito deslize, muita velocidade e pouco esforço, nesse caso é o polo aquático. Só que o bodysurf também impulsiona o polo aquático no mar. Furar onda, se mover ... pra mim um e outro são como unha e carne. Léo - O que você acha das pranchinhas handplane para quem está começando no esporte? Acha que dá mais facilidade no início pegar onda com elas ou o melhor é partir logo só com os braços? Henrique - Eu acho muito bom o handplane pra pessoa aprender o posicionamento. A tendência quando ela começa a pegar onda é ficar olhando um pouco para a praia. Fica meio de lado e aí você não vê a onda quebrar. Você perde velocidade e cai da onda. Já quando você coloca o handplane, tende a olhar por cima do ombro lá na ponta do dedo do handplane. Na verdade, te dá mais postura e faz deslizar mais também. O bom é treinar com ela, pra depois, quando tirar o handplane, lembrar como é e poder surfar sem a prancha e com postura.

É quase um bodysurf yoga, seu corpo é a sua prancha. Quanto mais reto maior o deslize. Você tem que trabalhar a torção no corpo para poder se esticar mais e deslizar mais. Zé - Henrique, você já pegou ondas gigantes de até oito metros como Teahupoo e Jaws. Vimos que você está adaptando uma roupa especial para a prática do tow-in, aquele jet ski que lhe leva para dropar ondas gigantes. Já existe uma previsão para começar a prática do surfe de peito utilizando o tow-in? Eu e meus amigos já estamos sonhando com as ondas gigantes... Henrique - O tow-in body surf é um esporte novo que tem muito para evoluir. Estou agora na fase dois, com novos protótipos, vendo questões de segurança e flutuabilidade. Vejo que tem um futuro bem legal para quem quer virar homem peixe voador ou homem gaivota, para deslizar sobre as ondas de corpo com alta velocidade. Na verdade, o que está surgindo de possibilidades de surf diferentes é incrível. E sim, o tow-in é uma destas possibilidade e eu estou trabalhando para isso. Dá pra ir sonhando sim pegar onda grande de tow-in.

Léo - Você ministra diversos cursos em Fernando de Noronha e em até outros lugares. A gente já tem idade para frequentar seus cursos? Eu e o Zé temos treze anos. Que idade a criança já estaria preparada para participar de um curso de bodysurf? Henrique - Não tem idade. Tem a forma de fazer os exercícios e a técnica. A única coisa é que quando tem um grupo de adultos, é só de adultos. Quando o grupo é de adolescentes, só entram adolescentes. Não tem idade mesmo, até os 80 anos, 90 anos, se tiver alongamento, dá pra fazer. O método do Sea Coach surgiu em 2005, em Floripa, quando eu morava lá e tinha voltado do Havaí. Resolvi criar uma escolinha de bodysurf para adolescentes e pré-adolescentes, autoconhecimento através do mar. Tinham jovens de 7 a 15 anos, centenas, durante sete anos, e foram os meus principais professores do método. Zé - Que legal, Henrique! Gostaria que você deixasse um alô, um incentivo pra galera que curte o site Pequeno Artista e que já tem planos para seguir esse caminho bonito e inspirador que você contou pra gente.

Henrique - Bem ... pra quem curte o site Pequeno Artista tem uma frase que eu gosto muito e que eu falo que é: a maior obra de arte de todo ser humano é a sua própria vida. Então, Pequeno Artista, você já é uma obra de arte. Inacabada ... que sempre sejamos. E a mensagem principal é: viver o presente, cuidar da sua energia, porque nós somos a energia que a gente emana. Só o que existe é o presente, o passado já foi e o futuro a gente pode sonhar, mas ninguém sabe. Viver pleno no presente com os olhos abertos pro futuro que fazem a gente surfar a onda da nossa própria vida. Com o propósito. Acho que o grande desejo de todo ser humano é surfar a onda da sua própria vida em paz , plenitude, felicidade, propósito. Que assim seja!

#LeoeZe #Leoe

 Posts Principais
Posts em breve
Fique ligado...
Posts Recentes
Arquivo
Pesquisa por tags
Siga a gente
Nenhum tag.
  • Facebook Basic Square

© 1999-2020 - Pequeno Artista